Poluição do Rio Ferreira [+]

O facto do poder local em Portugal ser extremamente compartimentado (dividido que está em pequenas zonas administrativas), e as Áreas Metropolitanas terem perdido influência (quiça para justificar a regionalização), a que se soma uma série de entidades regionais e nacionais que pouco ou nada fazem (como é o caso da Parque das Serras do Porto), resulta num território extraordinariamente mal tratado e em contínua destruição. Tal, não daria pena, não fosse o facto de o nosso território ser, sem acção irresponsável humana, tão rico e diversificado. Mas é. Ou melhor, era.O Porto é rodeado por interessantes serras e rios, todos eles ao total abandono, ou tomados de assalto por interesses ligados à indústria, em particular da celulose. O Vale do Couce, atravessado pelo Rio Ferreira, é um desses paraísos naturais totalmente destruído, sendo um espelho do que refiro, da falta de poder e interesse pela riqueza ambiental que poderíamos ter e usufruir. Esta fotografia, captada por Pedro Quezada, com quem desde miúdo percorri grande parte daquele território, deveria envergonhar qualquer responsável político, sendo um reflexo da nossa pouca cultura.A monocultura do eucalipto, bem como a transformação dos nossos canais de água em esgotos industriais, seguem dentro de momentos.

Hotel na Praia da Memória [+]

O Ministro do Ambiente, Matos Fernandes, anunciou na primeira legislatura que iria avançar um plano de demolições de construções ao longo da costa Portuguesa. Medida que saúdo.
Hoje toma de novo posse para mais quatro anos de governação, pelo que seria bom que, ao longo de todo o seu mandato, não estivéssemos a investir na demolição de construções antigas e a construir outras novas para mais tarde, um outro Ministro, proceder à sua demolição.

Este processo de licenciamento é, no mínimo, incompreensível.